Lipoaspiração

Seguem algumas informações gerais sobre a cirurgia de Lipoaspiração. Os detalhes sobre preços, forma de pagamento e pós operatório só podem ser passadas de forma presencial. 

Caso tenha interesse, faça um agendamento comigo. A clínica fica em Ribeirão Preto – SP.

Quantos quilos vou emagrecer com a lipoaspiração?

Sendo uma cirurgia plástica que retira determinada quantidade de gordura, evidentemente haverá uma redução no peso, que varia de acordo com o volume aspirado, porém não são, os “quilos” retirados que definirão o resultado estético, mas sim as proporções entre as diferentes regiões corporais. 

Qual o volume máximo que pode ser retirado?

O volume máximo a ser aspirado de acordo com normas estabelecidas pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica é de até 7% do peso corporal do paciente. 

Que tipo de anestesia é utilizada para esta cirurgia?

Em geral utilizamos nesta cirurgia plástica anestesia tipo peridural com sedação, porém, em determinados casos, podemos utilizar anestesia geral ou raque. Esta escolha será feita pelo médico anestesiologista após cuidadoso exame pré-anestésico.

Quanto tempo dura o ato cirúrgico?

Depende de volume de gordura e da área corporal a ser aspirada, em geral dura em torno de 3 a 4 horas

Qual o período de internação?

O tempo de internação também é variável de acordo com a extensão da área abordada. Dependendo do volume aspirado e da evolução no pós-operatório, pode-se ter alta no mesmo dia ou no dia seguinte.

Em quanto tempo poderei retornar as minhas atividades habituais?

O tempo de retorno varia de acordo com as atividades praticadas pelo paciente, com a quantidade de gordura retirada, com a extensão da área tratada e com a resistência individual a dor. Em geral e recomendado repouso maior nos três primeiro dias.

 A maior parte dos pacientes retorna as suas atividades laborativas em torno do 5º ao 7º dia. Atividades físicas mais leves podem ser iniciadas a partir do 15º dia sendo aumentadas gradativamente de acordo com a capacidade individual, sendo recomendada a orientação profissional de educação física.

Pode ser necessária a realização de retoques na lipoaspiração?

Sim. Ha vários fatores que condicionam o resultado deste procedimento: A técnica a ser usada, os cuidados pós-operatórios, a colaboração do paciente, medidas dietéticas adequadas, exercício físico, genética, etc. Pode ser necessária a realização de cirurgias complementares para se obter um resultado final melhor. É interessante observar, que são considerados retoques a correção de pequenas imperfeições. No caso de ser necessário um procedimento secundário devido ao volume de gordura no pré-operatória ser maior do que o limite máximo a ser retirado do paciente, ou por ganho de peso no pós-operatório esta não será considerada retoque e serão cobrados honorários para a sua realização.

Eu tomo Hormônios (anticoncepcional, reposição hormonal) posso continuar usando?

É recomendado que se pare o uso destes hormônios, pelo menos 10 dias antes da realização da cirurgia plástica de lipoaspiração. Porém seu uso não impede que se realize o procedimento cirúrgico.

O Anticoncepcional é um dos fatores responsáveis pelo desenvolvimento dos fenômenos tromboembólicos (trombose e embolia) e a suspensão do seu uso diminui significativamente a ocorrência de tais problemas.

Caso a paciente opte em não parar de tomar, tem que saber que estará com risco aumentado de trombose, sendo neste caso, extremamente importante que a relate ao cirurgião que esta usando esta medicação.

Eu fumo, isto pode prejudicar a Cirurgia de Lipoaspiração? 

SIM. O cigarro é um dos principais responsáveis pelo aparecimento de complicações cirúrgicas. Acarretando em problemas tanto durante a cirurgia, quanto no pós-operatório.

A suspensão do cigarro, para que diminua significativamente a chance destas complicações deve ser feita com 30 dias de antecedência. O ideal que que a paciente não fume até o 30º dia de pós-operatório, pois neste período o fumo aumenta bastante a chance de queloides e cicatrizes hipertróficas.

Caso a paciente opte por não parar de fumar, a cirurgia poderá sim, ser realizada, mas ela tem que estar ciente que esta aumentando e muito o risco de complicações e de resultados indesejados.

Caso a paciente opte por não parar de fumar, ou por parar por um período inferior ao recomendado é de extrema importância, que ela relate ao cirurgião a verdade, para que possamos tomar alguns outros cuidados com intuito de tentar minimizar o risco.

Mesmo que não pare de fumar pelo tempo recomendado, parar por um tempo menor, ou apenas diminuir a quantidade de cigarros fumados, não elimina, mas diminui o risco de complicações.

Pode ser necessário associar uma cirurgia para retirada do excesso de pele?

Sim, como já explicado a lipoaspiração é uma cirurgia que visa a retirada de células de gordura para melhorar a harmonia entre diversos segmentos do corpo. Porém ela, isoladamente, não retira o excesso de pele da paciente.

Nos casos em que a paciente já apresenta um excesso de pele (FLACIDEZ) pode ser necessário a realização de uma cirurgia complementar para melhorar ainda mais o resultado.

Existem diversos procedimentos que podem ser associados a lipoaspiração com este intuito, dentre eles podemos citar a abdominoplastia e a mini abdominoplastia, em ambas realizamos a retirada do excesso de pele do abdome.

Qual a diferença entre Abdominoplastia e Mini abdominoplastia?

As duas técnicas tem como objetivo a retirada de pele do abdome, com intuito de melhorar o aspecto desta região.

A diferença entre as duas consiste na quantidade de pele que será retirada e no tamanho da cicatriz resultante.

Na abdominoplastia retira-se mais pele, deixando-se a barriga bem mais esticada principalmente na porção superior do abdome (acima do umbigo), porém a mini abdominoplastia resulta em cicatrizes menores e mais escondidas.

A mini abdominoplastia tem como limitação não conseguir esticar a pele acima do umbigo, o que só é conseguido na abdominoplastia.

Algumas pacientes podem ter um grau leve ou moderado de flacidez acima do umbigo, que a mini abdominoplastia não consiga “esticar” e não ter flacidez suficiente para uma abdominoplastia, nestes casos a paciente poderá optar por uma mini abdominoplastia, mesmo sabendo que não ficará com o abdome tão esticado, ou por uma abdominoplastia atípica ( cirurgias realizadas nestes casos intermediários – existem diversas técnicas, informe-se mais detalhadamente com seu cirurgião durante sua consulta.)

Cada técnica tem sus vantagem e desvantagem. Deve-se conversar bem com o cirurgião no pré-operatório, afim de decidir qual a melhor técnica a ser utilizada no seu caso.

Se optar por realizar uma mini abdominoplastia, como será minha cicatriz?

Esta cirurgia deixa uma cicatriz no abdome com tamanho e posição semelhante ao de uma cesariana, ou seja uma cicatriz horizontal, na altura do púbis ( o tamanho pode variar, de acordo com a necessidade e com o combinado no pré-operatório. Quanto maior a cicatriz mais pele iremos retirar, deixando-se a barriga mais esticada)

Como ficarão as cicatrizes?

As cicatrizes terão as localizações já explicadas e são planejadas para ficarem o  mais disfarçadas possível sob as roupas, e passarão por vários períodos de evolução, como se segue:

  • PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto pouco visível. Alguns casos apresentam discreta reação aos pontos ou ao curativo.
  • PERÍODO MEDIATO: Vai do 30º dia até o 12º mês. Neste período haverá espessamento natural da cicatriz, bem como mudança de sua cor. Este período é o menos favorável da evolução cicatricial; como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos às pacientes que aguardem, pois o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais.
  • PERÍODO TARDIO: Vai do 12º ao 18º mês. Neste período, a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo da cirurgia do abdome deverá ser feita após este período. Raros casos ultrapassam este período para atingir a maturação definitiva da cicatriz.